quarta-feira, 20 de julho de 2011

A ponta da Leste

A minha ponta queima na base do asfalto da Zona Leste
Zona que aponta no Leste da cidade
Zona indefinida
Zona entrecortada
Zona esquecida
Zona abandonada

A minha ponta cruza pela linha da ferrovia, que de vermelha, arde
Que de vermelha ferve
Que de vermelha em brasa permanece

A minha ponta aponta tudo, e às vezes, me entristece
Mas baseada na certeza de cada dia
Ela risca:
Preta não desanima
Pois dia após dia, é no Leste que o Sol aparece

Débora Garcia

2 comentários:

  1. Boa pra caraiooooooo, ta no Livro ja hem! isso memo guerrera!

    ResponderExcluir
  2. Valeu Marginal!Tô cheia de inspriração!
    Até sábado

    ResponderExcluir